MENU
Linköping quer armazenar energia de resíduos

Os municípios suecos recuperam a energia dos resíduos de duas formas: a geração de biometano a partir de resíduos orgânicos e a incineração de resíduos impróprios para a reciclagem. O principal uso da energia gerada pelos resíduos urbanos é o aquecimento das residências a partir de um sistema chamado District Heating que distribui o calor por tubulações que ligam as casas. A maior parte das usinas incineradoras também geram eletricidade, mas o grosso da energia é usado como calor.

Sendo assim, há uma grande variação na demanda de energia entre o verão e o inverno, mas a necessidade de tratamento de resíduos permanece relativamente constante. No inverno, outras fontes de energias são usadas para suprir o calor necessário. A primeira opção é a biomassa. Caldeiras que que queimam chips e pallets de madeira reforçam a geração de calor necessário durante as temperaturas mais frias. Em casos extremos, entretanto, até mesmo caldeiras que usam combustíveis fósseis são disparados.

Para aproveitar o calor gerado pelos resíduos e não utilizado no verão, a Tekniska Verken, conglomerado que cuida do tratamento de resíduos, esgotos, e abastecimento de calor e internet para a cidade de Linköping na Suécia, está estudando formas de armazenamento térmico de calor. De acordo com o especialista em Pesquisa e Desenvolvimento da Divisão de Energia da empresa, Henrik Lindståhl, as primeiras reuniões para discussão do tema já estão sendo realizadas.