Dell cada vez mais perto de ter embalagens 100% sustentáveis

A Dell inovou a produção de embalagens com bambu, fungos, resíduos de fibra de carbono e plásticos recolhidos dos oceanos para ampliar o projeto de ciclo fechado na indústria implantado em 2014: a meta da companhia é utilizar 45 mil toneladas de materiais sustentáveis até 2020.

Ocean Plastics é o nome da primeira cadeia de fornecimento global de plásticos recuperados dos oceanos em escala comercial. Os plásticos coletados em praias, cursos d’água e áreas costeiras são processados e usados como parte de uma nova embalagem. O projeto já está em andamento e permite manter 7 toneladas de plástico fora dos oceanos.

Por outro lado, para reduzir a quantidade de plásticos nos oceanos, a The Lonely Whale Foundation, em parceria com a Dell, formou uma iniciativa colaborativa e aberta chamada NextWave, que convoca empresas como a General Motors, Trek Bicycle, Interface, Van de Sant, Humanscale, Bureo e Herman Miller para desenvolver a primeira cadeia de suprimento em escala comercial de plásticos dos oceanos. O grupo espera impedir o despejo de mais de 1,6 toneladas de plásticos no mar em um período de cinco anos, o equivalente a 66 milhões de garrafas.

Bambu e o cogumelo, materiais renováveis e biodegradáveis, também servem para tornar os produtos mais leves. Cascas de algodão, arroz ou palha de trigo são colocadas em um molde e injetadas com cogumelos. Cinco a dez dias depois, a estrutura da raiz do fungo completa seu crescimento, o produto final passa por uma secagem em estufa e substitui as espumas à base de petróleo por um material orgânico.

"O futuro requer uma mudança de mentalidade em torno da criação de valor, e são necessários novos tipos de colaboração em prol da sustentabilidade. Estamos comprometidos em tomar decisões mais inteligentes sobre os materiais que utilizamos em nossos produtos, do início ao final do ciclo. Assim, passamos a usar materiais inovadores e sustentáveis e a evitar aqueles que possam ter efeitos prejudiciais no ecossistema”, afirma o Vice-Presidente Sênior, Luis Gonçalves.