Encontro em São Paulo reune empreendedores para impulsionar projetos florestais e agroflorestais

Representantes de fundos de investimento (brasileiros e internacionais) e empreendedores do setor florestal e agroflorestal brasileiro se reuniram em São Paulo, em um encontro articulado pela Iniciativa 20x20 e WRI Brasil. A rodada de investimentos tem o objetivo de conectar projetos no país para iniciar negociações que podem resultar em novos investimentos no setor.

O encontro trouxe seis fundos de investimento para a mesa de negociação. São fundos que fazem parte de um grupo de parceiros-investidores que se comprometeu com a Iniciativa 20x20, uma parceria envolvendo 17 países latino-americanos para restaurar 20 milhões de hectares na América Latina até 2020. A iniciativa já obteve compromissos de 50 milhões de hectares de países e mobilizou cerca de US$ 2,6 bilhões, ainda não destinados, a projetos florestais e agroflorestais no continente. A reunião é um primeiro passo para trazer parte desses recursos para o Brasil.

Foto: divulgação

“Nós esperamos que as conversas possam dar início a eventuais investimentos em projetos florestais. Queremos promover as medidas com melhor custo-benefício para ajudar no cumprimento dos compromissos assumidos pelo Brasil frente às mudanças climáticas”, disse o líder da Iniciativa 20x20, Walter Vergara.

A reunião atraiu empreendedores, empresários e produtores representando nove projetos de restauração no Brasil. Juntos, esses projetos somam 17 mil hectares passíveis de ser restaurados e produzir produtos madeireiros, não-madeireiros e serviços ambientais em seis estados: São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Bahia e Goiás. São propostas de fazer plantio com espécies nativas e exóticas e sistema agroflorestal, sistema integração lavoura-pecuária-floresta, entre outros.

Os projetos passaram por uma avaliação preliminar da equipe do WRI Brasil, por meio do Projeto Verena (Valorização Econômica do Reflorestamento com Espécies Nativas), que busca demonstrar a viabilidade econômica do reflorestamento com espécies nativas e consórcios que farão com que produtores possam restaurar áreas degradadas e conseguir retornos financeiros. “A rodada de investimentos é importante porque mostra que o Brasil tem projetos florestais que são viáveis economicamente”, diz o analista de Investimento do WRI Brasil, Alan Batista.

Calendário 2019
Confira as principais dúvidas sobre o sistema solar
Mulheres, inovação e protagonismo
Mudanças do clima estão tornando os incêndios maiores, mais quentes e perigosos