Faber-Castell recebe certificado de eficiência energética

A Comerc Esco e Sinerconsult concederam o primeiro certificado de eficiência energética no país para duas unidades industriais da tradicional fabricante de lápis Faber-Castell. As fábricas de São Carlos (SP) e Prata (MG) foram certificadas pelo projeto que substituiu, entre 2016 e 2017, 4.724 luminárias e refletores que usavam lâmpadas a vapor de sódio ou de mercúrio.

“Eficiência energética não apenas contribui para mitigar impactos ao meio ambiente, mas traz, ainda, economia financeira e equipamentos mais adequados. Além disso, a substituição das lâmpadas também alcançou uma maior qualidade de iluminação por ponto, em cerca de 15%, garantindo que a quantidade de luz por metro quadrado continuasse em conformidade com o que é previsto pela legislação vigente”, disse diretor presidente da Faber-Castell, Marcelo Tabacchi.

A companhia, que é carbono neutro desde 2010, também foi certificada pela TÜV Rheinland com base na norma internacional ISO 14064. Ou seja, suas iniciativas em prol do meio ambiente neutralizam o mesmo volume de gases de efeito estufa – ou até mais - que o emitido pelas atividades que conduz. No Brasil, a empresa possui florestas próprias para mitigar suas pegadas de carbono.

“O certificado que lançamos foi criado para permitir a cada cliente conhecer qual é a redução da emissão de gases de efeito estufa obtida com seus projetos de eficiência energética. De posse desses documentos, as empresas poderão comprovar o quanto os seus investimentos contribuem com o esforço nacional de redução de emissão de gases de efeito estufa, participando do debate sobre a consciência energética de uma forma proativa e documentada”, afirma o presidente da Comerc Energia, Cristopher Vlavianos.

O professor doutor Fernando Almeida Prado Jr., sócio da Sinerconsult e responsável pelo desenvolvimento do projeto dos certificados de eficiência energética, explica que “a metodologia usada para o cálculo das reduções de emissão de gases de efeito estufa tem como pressupostos a adesão voluntária, a rastreabilidade das informações, dados auditados, baseados em informações oficiais e a estabilidade dos critérios adotados ao longo do tempo”. A consultoria é a mesma que desenvolveu o certificado da Comerc Energia conferido aos clientes que consomem energia de fonte renováveis.

Metodologia usa protocolo GHG

A Comerc ESCO usa nos seus cálculos a metodologia proposta pelo protocolo GHG, também conhecida como Greenhouse Gas Protocol, que quantifica a emissão de gás de efeito estufa que é evitada. A metodologia é a mais utilizada internacionalmente por governos e empresas com esse objetivo. É compatível com a norma ISO 14.064 e com os métodos de quantificação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC).

O cálculo do certificado ESCO Comerc Sinerconsult também leva em conta a relação entre a quantidade de energia necessária para a produção de uma determinada quantidade de produtos. As unidades variam conforme o tipo de atividade econômica. “Por exemplo, se uma empresa produz cervejas, os indicadores são ajustados para o total de kWh necessário para produzir um determinado volume de litros de cerveja; da mesma forma, se estamos falando de uma indústria de cimento, a medida será o total de kWh necessário para produzir uma tonelada desse material”, detalha Almeida Prado Jr.

Cabify adere ao Pacto Global da ONU
Pirlimpimpim?
Enel vai expandir parque eólico no Brasil
Estudo mostra que leis sobre seguro ambiental precisam de aperfeiçoamento