Investimento no setor florestal garante produtividade e qualidade aos produtos

A indústria de árvores plantadas é um vetor de produção e desenvolvimento econômico, social e ambiental, o que eleva o Brasil ao patamar de modelo de gestão nesse segmento. Quando se olha a produtividade das florestas plantadas brasileiras, o país lidera o ranking mundial, principalmente pelas condições de clima e solo favoráveis à silvicultura. No Paraná, por exemplo, estado que detém uma das cadeias de silvicultura mais completas do país e um dos parques industriais mais diversificados e modernos, dados do Estudo Setorial da Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (Apre) revelam que os plantios com pinus e eucalipto apresentam valores médios de produtividade de até 10% acima da média brasileira. Tudo isso só foi possível graças aos contínuos investimentos das empresas do setor em tecnologia e aprimoramento de práticas de manejo florestal.

Em nível nacional, o Brasil é referência mundial em produtividade florestal de espécies de rápido crescimento, como o pinus e o eucalipto, e apresenta de modo geral a maior produtividade levando em conta o volume de madeira por unidade de área e a menor rotação. Em 2016, os valores médios de produtividade informados pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) foram de 35,7 m³ hectares por ano e 30,5 m³ hectares por ano para eucalipto e pinus, respectivamente.

Crédito/Foto: divulgação

Quanto aos investimentos em pesquisa e desenvolvimento florestal, foi aplicado um montante estimado de R$ 135 milhões, de acordo com os dados apresentados no documento da Apre. Empresas com plantios florestais vêm utilizando novas tecnologias reconhecidas mundialmente, visando o aumento da produtividade florestal e o melhoramento genético. Como resultado, grande parte das florestas plantadas é originária de semente melhorada (pinus) e de plantios clonais de alta produtividade (eucalipto e pinus), com adaptação e tolerância a fatores adversos de clima, solo, água, entre outros.

No Paraná, os avanços tecnológicos no manejo e no melhoramento genético para esse grupo de espécies se desenvolveram ao longo das últimas décadas, contribuindo para ganhos expressivos de produtividade, apesar da estagnação na expansão de novas áreas e da conversão para plantios com eucalipto. Mesmo com a retração dos últimos anos, investimentos recentes e outros em andamento no setor de base florestal plantada do Paraná totalizaram R$ 8,87 bilhões. Esses investimentos concentram-se principalmente nas florestas (70%), sendo em plantios florestais (52%) e colheita florestal (18%), seguidos pela indústria (21%) e outros (9%).

Na avaliação do presidente da Apre, Álvaro Scheffer Junior, esse valor significativo destaca o setor florestal do estado no contexto nacional. Álvaro lembra que somente as associadas à Apre investiram em conjunto em 2016 o montante de R$ 12 milhões em pesquisa e inovação florestal, com estimativa de investir mais de R$ 64 milhões nos próximos cinco anos. "A previsão dos próprios associados é de investir pelo menos R$ 2,20 bilhões entre 2017 e 2021. As associadas também aplicaram R$ 2,23 bilhões no setor florestal paranaense, sendo que 84% deste total refere-se a aplicações na indústria", conta.

Espírito Santo: EDP e Findes firmam parceria para instalação da maior rede de recarga de veículos elétricos
Confira as principais dúvidas sobre o sistema solar
Calendário 2019
Mulheres, inovação e protagonismo