ABB investe em mobilidade elétrica com novo centro de pesquisa

A instalação de US$ 10 milhões e 3.600 m², com conclusão prevista para junho de 2019, vai impulsionar a mobilidade sustentável. Recentemente, a ABB conquistou o reconhecimento global da revista Fortune, que classificou a companhia na 8ª posição em seu ranking de empresas que estão transformando o mundo, por seus avanços em mobilidade elétrica e recarga de veículos elétricos.

Localizado na parte sul do campus da Universidade de Tecnologia de Delft, o complexo, que poderá abrigar até 120 pessoas, marcará o retorno do negócio de recarga de veículos elétricos da ABB para o local de sua concepção. De fato, os estudantes que fundaram a Epyon (start-up de recarga de veículos elétricos adquirida pela ABB em 2011) eram ex-alunos da Universidade de Tecnologia de Delft.

Foto: Página Sustentável

Com a interoperabilidade, foco principal para os carregadores da ABB, o edifício será equipado com a mais recente tecnologia para garantir que os equipamentos sejam compatíveis com todos os tipos de veículos. Simuladores foram criados exatamente para essa finalidade, de modo que 95% dos testes sejam realizados com um modelo digital de veículos no simulador.

Como o comportamento do carro e do carregador em climas quentes ou frios não pode ser testado no simulador, a ABB está desenvolvendo salas climatizadas para esse fim, nas quais os sistemas estarão sujeitos a condições extremas, incluindo uma faixa de temperatura de -40 a +40ºC e umidade elevada.

O diretor geral de Negócios de Recarga Elétrica da ABB, Frank Muehlon, comenta: “O investimento nesta nova sede e centro de P&D demonstra o compromisso da companhia com a liderança tecnológica e a definição do padrão quando se trata de mobilidade sustentável. A instalação nos permitirá aumentar o ritmo de testes e desenvolvimento de produtos, garantindo a entrega de produtos inovadores ao mercado mais rápido”.

A companhia também criou um edifício que pudesse promover o progresso na mobilidade sustentável e desenvolveu uma instalação 100% sustentável. Para aquecimento e resfriamento, o complexo será conectado à usina geotérmica da Universidade de Tecnologia de Delft. Enquanto isso, o teto terá painéis solares, com os inversores solares da companhia para converter a energia gerada a partir do sol, que será utilizada para alimentar o complexo.

Soluções elétricas também serão integradas em todo o edifício, incluindo transformadores, painéis, produtos de construção inteligentes e componentes de proteção, disjuntores, dispositivos de corrente residual, controle, sinalização, medição e acessórios.

Frank conclui: “Este edifício marca um passo significativo no crescimento contínuo do nosso negócio de recarga de veículos elétricos. O fator mais importante para impulsionar os avanços tecnológicos é o talento, e não poderíamos pedir um local mais inspirador do que o campus da Universidade de Delft, onde estaremos cercados da próxima geração de engenheiros elétricos e industriais”.

Calendário 2019
Solvay inaugura fábrica no Brasil e amplia participação na química sustentável
Mudanças do clima estão tornando os incêndios maiores, mais quentes e perigosos
Mulheres, inovação e protagonismo