Aeroporto de Salvador é o primeiro a receber certificação pelo controle de carbono

O Aeroporto de Salvador acaba de realizar um feito importante na área de sustentabilidade: ele é o primeiro das regiões Norte/Nordeste e o segundo do Brasil a obter certificação ACA (Airport Carbon Accreditation), concedida pela organização Airport Council International (ACI). A entidade avalia e reconhece, em quatro etapas, os esforços de redução de gases de efeito estufa gerados pelos aeroportos.

A certificação ACA foi outorgada, dia 4 de janeiro, em nível 1 e é resultado do trabalho de mapeamento e cálculo da emissão de gases decorrentes de atividades internas do aeroporto que demandam utilização de energia elétrica e combustíveis fósseis.

Foto: Divulgação

Além dos requisitos para a certificação, o aeroporto também realizou um teste de opacidade, em parceria com o Programa Ambiental do Transporte (Despoluir). O teste consiste na medição dos gases provenientes da frota de veículos e avalia se os resultados estão dentro dos padrões legais de emissões. Nesta análise, todos os veículos utilizados pelo Aeroporto foram aprovados.

O próximo passo é atingir o nível 2 da certificação ACA, que consiste na implementação de ações e projetos para a redução do consumo energético no Aeroporto de Salvador. Medidas já em andamento no terminal de passageiros incluem melhoria do sistema de climatização e instalação de sensores de presença nas escadas, elevadores e banheiros, por exemplo.

A iluminação também está sendo substituída por lâmpadas LED, reduzindo o consumo de eletricidade para esta finalidade em cerca de 30%. No projeto das obras de ampliação e modernização, a estrutura do novo píer terá vidros insulados que proporcionam maior conforto térmico, diminuindo o uso de energia, além de um sistema de climatização inteligente.

"Receber esta certificação em apenas um ano de concessão é a certeza de que estamos no caminho certo para avançar em termos de sustentabilidade. O Aeroporto de Salvador está se renovando para os passageiros e também para o meio ambiente", comemora Julio Ribas, diretor presidente do Aeroporto da capital Baiana.

Ainda este ano, será instalada uma planta solar, com aproximadamente 30 mil metros quadrados de área interna e capacidade de até 5 MW, suficiente para fornecer energia elétrica para 100% do novo píer. Na prática, isso significa que o consumo de energia comprada não sofrerá aumento mesmo com a expansão da área construída do aeroporto.

Link relacionado

Conferência Transporte de Produtos, Logística e Frota Sustentável

Votorantim Cimentos aprimora matriz energética com resíduos urbanos
Lixões liberam 6 milhões de toneladas de gases de efeito estufa ao ano
Abetre apresenta cartilha com alternativas para gerenciamento de resíduos
Vendas explosivas da Tesla na Noruega fazem Mercedes viver seu momento Kodak