Aeroporto de Salvador é o primeiro a receber certificação pelo controle de carbono

O Aeroporto de Salvador acaba de realizar um feito importante na área de sustentabilidade: ele é o primeiro das regiões Norte/Nordeste e o segundo do Brasil a obter certificação ACA (Airport Carbon Accreditation), concedida pela organização Airport Council International (ACI). A entidade avalia e reconhece, em quatro etapas, os esforços de redução de gases de efeito estufa gerados pelos aeroportos.

A certificação ACA foi outorgada, dia 4 de janeiro, em nível 1 e é resultado do trabalho de mapeamento e cálculo da emissão de gases decorrentes de atividades internas do aeroporto que demandam utilização de energia elétrica e combustíveis fósseis.

Foto: Divulgação

Além dos requisitos para a certificação, o aeroporto também realizou um teste de opacidade, em parceria com o Programa Ambiental do Transporte (Despoluir). O teste consiste na medição dos gases provenientes da frota de veículos e avalia se os resultados estão dentro dos padrões legais de emissões. Nesta análise, todos os veículos utilizados pelo Aeroporto foram aprovados.

O próximo passo é atingir o nível 2 da certificação ACA, que consiste na implementação de ações e projetos para a redução do consumo energético no Aeroporto de Salvador. Medidas já em andamento no terminal de passageiros incluem melhoria do sistema de climatização e instalação de sensores de presença nas escadas, elevadores e banheiros, por exemplo.

A iluminação também está sendo substituída por lâmpadas LED, reduzindo o consumo de eletricidade para esta finalidade em cerca de 30%. No projeto das obras de ampliação e modernização, a estrutura do novo píer terá vidros insulados que proporcionam maior conforto térmico, diminuindo o uso de energia, além de um sistema de climatização inteligente.

"Receber esta certificação em apenas um ano de concessão é a certeza de que estamos no caminho certo para avançar em termos de sustentabilidade. O Aeroporto de Salvador está se renovando para os passageiros e também para o meio ambiente", comemora Julio Ribas, diretor presidente do Aeroporto da capital Baiana.

Ainda este ano, será instalada uma planta solar, com aproximadamente 30 mil metros quadrados de área interna e capacidade de até 5 MW, suficiente para fornecer energia elétrica para 100% do novo píer. Na prática, isso significa que o consumo de energia comprada não sofrerá aumento mesmo com a expansão da área construída do aeroporto.

Link relacionado

Conferência Transporte de Produtos, Logística e Frota Sustentável

Uso da água, de novo e sempre
Renováveis na Alemanha passam o carvão
PLD é fixado em R$ 166,17 MWh no Sudeste e Sul
Nouryon faz novas parcerias para acelerar inovação química