Agência das Bacias PCJ investe em monitoramento de águas subterrâneas

Um plano de monitoramento quali-quantitativo das águas subterrâneas na região abrangida pelas Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí foi contratado no fim de 2018 pela Agência das Bacias PCJ. A medida deve-se à tendência progressiva das perfurações de poços e tem como objetivo evitar um colapso de vários sistemas de produção, o que geraria impactos permanentes ou de difícil e lenta reversão.

O investimento é de R$ 721.151,28 provenientes da cobrança pelo uso da água em rios de domínio da União (Cobrança PCJ Federal). O estudo deve ser concluído até outubro de 2019 pela Profill Engenharia e Ambiente, empresa vencedora da licitação.

Foto: Divulgação

Segundo informações da Coordenação de Projetos da Agência das Bacias PCJ, responsável pelo gerenciamento e acompanhamento do contrato, estima-se que mais de 6 mil poços, legalizados ou não, sejam usados para explorar as águas subterrâneas com produção superior a 127 milhões de m³/ano - o que representaria cerca de 16% do potencial hídrico subterrâneo total das Bacias PCJ. O uso desordenado vem levando a uma série de conflitos como rebaixamento significativo dos níveis d’água, supressão ou redução de vazões de nascentes, diminuição das vazões de poços tubulares, abatimentos de terrenos e alteração da qualidade da água.

“A rede de monitoramento integrado permitirá subsidiar ações de controle da poluição ambiental, bem como o estabelecimento de Valores de Referência de Qualidade”, explicou a coordenadora de Projetos da Agência, Elaine Franco de Campos.

 

Armazenamento Energético em Geração Distribuída
Brasil está em 56º lugar no ranking de iniciativas urbanas sustentáveis
Programa que reciclou mais de 50 milhões de garrafas de vidro ganha escala setorial
Exportação de produtos florestais alcança US$ 2,8 bilhões no 1º trimestre