Agência das Bacias PCJ investe em monitoramento de águas subterrâneas

Um plano de monitoramento quali-quantitativo das águas subterrâneas na região abrangida pelas Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí foi contratado no fim de 2018 pela Agência das Bacias PCJ. A medida deve-se à tendência progressiva das perfurações de poços e tem como objetivo evitar um colapso de vários sistemas de produção, o que geraria impactos permanentes ou de difícil e lenta reversão.

O investimento é de R$ 721.151,28 provenientes da cobrança pelo uso da água em rios de domínio da União (Cobrança PCJ Federal). O estudo deve ser concluído até outubro de 2019 pela Profill Engenharia e Ambiente, empresa vencedora da licitação.

Foto: Divulgação

Segundo informações da Coordenação de Projetos da Agência das Bacias PCJ, responsável pelo gerenciamento e acompanhamento do contrato, estima-se que mais de 6 mil poços, legalizados ou não, sejam usados para explorar as águas subterrâneas com produção superior a 127 milhões de m³/ano - o que representaria cerca de 16% do potencial hídrico subterrâneo total das Bacias PCJ. O uso desordenado vem levando a uma série de conflitos como rebaixamento significativo dos níveis d’água, supressão ou redução de vazões de nascentes, diminuição das vazões de poços tubulares, abatimentos de terrenos e alteração da qualidade da água.

“A rede de monitoramento integrado permitirá subsidiar ações de controle da poluição ambiental, bem como o estabelecimento de Valores de Referência de Qualidade”, explicou a coordenadora de Projetos da Agência, Elaine Franco de Campos.

 

Aeroporto Salvador Bahia pretende economizar 2 milhões de m³ com sistema de reuso
FSC reforça a importância das florestas para o desenvolvimento sustentável
Energia solar fotovoltaica ocupa sétima posição na matriz elétrica brasileira e ultrapassa nuclear
Setor sucroenergético impulsiona economia e preservação do meio ambiente no Triângulo Mineiro