ANA e IGAM monitoram qualidade do rio Paraopeba

A qualidade da água do rio Paraopeba foi tema de destaque durante a reunião sobre o rompimento da barragem I, Córrego do Feijão, Brumadinho (MG), realizada na tarde do último domingo (27), na sede da Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília (DF). No encontro, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, afirmou que será criado um grupo para discutir mudanças na Política Nacional de Segurança de Barragens (PNSB), instituída em 2010.

Foto: Divulgação

No curso d’água implementarão plano especial de monitoramento da qualidade da água em 47 pontos, onde serão coletadas amostras para análise física e química, que serão avaliados conjuntamente com a ANA e o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). Segundo Canuto, a previsão para os resultados preliminares é até a próxima quarta-feira, 30 de janeiro. O ministro ainda não sabe se os rejeitos de mineração chegarão à Hidrelétrica de Três Marias, no rio São Francisco. 

De acordo com o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o avanço da onda de rejeitos está acontecendo com uma velocidade abaixo de 1km/h e poderá chegar ao reservatório da Usina Hidrelétrica de Retiro Baixo entre 1º e 5 de fevereiro. 

“A questão da fiscalização e a possibilidade de evitar futuros desastres é de todos nós: privado, estadual e federal. Temos que ouvir os melhores especialistas, rever o marco regulatório e melhorar essa situação para evitar que futuros desastres aconteçam”, disse Canuto.

Link relacionado

Relatório de Segurança de Barragens (RSB)

 

ABB apresenta solução de última geração neutra em CO2
Brasil está em 56º lugar no ranking de iniciativas urbanas sustentáveis
Armazenamento Energético em Geração Distribuída
Exportação de produtos florestais alcança US$ 2,8 bilhões no 1º trimestre