Ecofuturo lança cartilha sobre a biodiversidade do Parque das Neblinas

Você sabe o que é uma espécie endêmica? E a importância da palmeira-juçara para restauração florestal? Já ouviu falar em micro orquídeas? E qual é o maior primata das Américas? Para responder a essas perguntas e apresentar outras tantas curiosidades, o Ecofuturo, organização sem fins lucrativos mantida pela Suzano, lança a cartilha “A biodiversidade no Parque das Neblinas”. O material convida o público a conhecer a grande diversidade de animais e plantas protegidos na reserva, considerada uma das Unidades de Conservação privadas do Brasil com o maior número de espécies registradas do bioma Mata Atlântica.

Mais de 1.250 espécies já foram identificadas no parque até este ano – sendo 23 delas com algum grau de ameaça à extinção –, resultado de aproximadamente 60 estudos científicos realizados desde 2002. Como destaque, há três novas descobertas: o sapinho-da-barriga-vermelha (Paratelmatobius yepiranga), o sapinho-da-garganta-preta (Adenomera ajurauna), e uma formiga que ainda está em processo de registro oficial. Há também o lambarizinho (Coptobrycon bilineatus), que não era encontrado por décadas e foi identificado nas águas do Itatinga, rio que corta o parque e que pode ser seu último habitat.

Organizada com base nas pesquisas desenvolvidas, a obra tem como objetivo compartilhar conhecimento para conservação e contribuir com programas de educação ambiental. Com texto leve e informativo, mesclando fotos e ilustrações, a cartilha apresenta a biodiversidade do Parque das Neblinas, e aborda também a relevância hidrográfica da reserva, que protege mais 477 nascentes, incluindo cerca de 50% da bacia do Itatinga.

“Ao incentivar e apoiar pesquisas científicas, o Ecofuturo aprofunda o conhecimento sobre a Mata Atlântica e sua biodiversidade. As informações são fundamentais para o aprimoramento da gestão do parque e podem servir de referência para outras áreas protegidas. Acreditamos que a cartilha é um importante instrumento para que todos, não apenas os visitantes da reserva, possam conhecer melhor a natureza, e quem sabe estreitar suas conexões e cuidados com o meio ambiente”, afirma o diretor de Sustentabilidade, Paulo Groke. 

FSC como instrumento para a conservação da biodiversidade
Shopping Anália Franco instala sistema de reuso de água
ABB apresenta fábrica neutra em CO2 na Alemanha
Brasil está em 56º lugar no ranking de iniciativas urbanas sustentáveis