Enel inicia construção da planta solar de 475 MW no Brasil

A subsidiária brasileira de energia renovável do Grupo Enel, Enel Green Power Brasil Participações, iniciou a construção do parque solar São Gonçalo, de 475 MW, em São Gonçalo do Gurguéia, no estado do Piauí. São Gonçalo é a maior planta solar fotovoltaica atualmente em construção na América do Sul e deve entrar em operação em 2020. O Grupo Enel vai investir cerca de R$ 1,4 bilhão na construção da planta solar, o equivalente a aproximadamente 390 milhões de dólares.

Foto: Página Sustentável

“O início da construção desta planta fotovoltaica fortalece a nossa liderança no setor brasileiro de energias renováveis e confirma mais uma vez a importância que damos ao desenvolvimento da energia solar no país”, afirma Antonio Cammisecra, responsável da Enel Green Power, linha global de negócios de energias renováveis do Grupo Enel. “São Gonçalo vai contribuir para a diversificação e a resiliência da matriz energética do país, respaldando um ciclo econômico virtuoso por meio do fornecimento de energia sustentável no longo prazo. ”

Quando estiver em plena operação, a planta será capaz de gerar mais de 1.200 GWh por ano e evitará a emissão de mais de 600 mil toneladas de CO2 na atmosfera. Da capacidade instalada total de 475 MW, 388 MW foram conquistados pelo Grupo Enel no leilão brasileiro A-4, em dezembro de 2017, e estão apoiados por contratos de fornecimento de energia de 20 anos para um pool de distribuidoras que operam no mercado regulado. Os 87 MW restantes vão gerar energia para o mercado livre.

No Brasil, o Grupo Enel, por meio de suas subsidiárias EGPB e Enel Brasil, possui uma capacidade instalada total de renováveis de mais de 2,9 GW, dos quais 842 MW de energia eólica, 820 MW de energia solar fotovoltaica e 1.269 MW de energia hídrica. Além disso, a EGPB tem mais de 1 GW em execução no Brasil, conquistados nos leilões de 2017.

FSC como instrumento para a conservação da biodiversidade
Shopping Anália Franco instala sistema de reuso de água
ABB apresenta fábrica neutra em CO2 na Alemanha
Brasil está em 56º lugar no ranking de iniciativas urbanas sustentáveis