L´Oréal Brasil e Engie firmam parceria para uso exclusivo de energia renovável

Alinhada aos seus compromissos de sustentabilidade, a L´Oréal Brasil e a Engieanunciam parceria para o uso de eletricidade proveniente de fontes renováveis em todas as unidades da L´Oréal no país.

A energia eólica é gerada no conjunto eólico da Engie, no município de Trairi (Ceará), e abastece as fábricas, centros de distribuição, o centro de pesquisa e a sede da L´Oréal Brasil, evitando a emissão de 7 mil toneladas de CO2 na atmosfera, o equivalente ao plantio de mais de 43 mil árvores.

"Uma das nossas prioridades em sustentabilidade é o tema de mudanças climáticas. A decisão de focar na contratação de energia 100% renovável produzida no parque eólico Trairi tem como objetivo a redução do impacto ambiental das nossas atividades", destacou a presidente da L´Oréal Brasil, An Verhulst-Santos.

Foto: Divulgação

O CEO da Engie Brasil, Maurício Bähr, destaca a importância da sustentabilidade na parceria: "São parcerias como essa que reconhecem e motivam investimentos e ações em prol dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)", frisou o executivo. Bähr destaca ainda que a parceria está em linha com a estratégia global da Engie. "Estamos liderando a transição energética para uma economia de baixo carbono, atuando muito próximos das necessidades energéticas de nossos clientes e promovendo o desenvolvimento harmonioso", comentou o CEO da Engie Brasil.

Essa iniciativa faz parte do compromisso global de sustentabilidade da L"Oréal Sharing Beauty With All, que vem transformando a companhia de modo a ter um impacto positivo na sociedade e no meio ambiente. O programa estabeleceu metas de desenvolvimento sustentável até 2020, da concepção dos produtos até o consumidor final e tem dois focos no Brasil: cadeia de valor sustentável e promover o protagonismo social através da beleza. No pilar cadeia de valor sustentável, uma de suas principais missões é alcançar uma operação de baixo carbono, com o objetivo de reduzir a emissão de CO2 até 2020 em 60% em relação a um cenário base de 2005, o qual já foi atingido: a L"Oréal Brasil conseguiu reduzir em 68% as emissões de CO2 de suas unidades industriais, em termos absolutos, no ano de 2018 quando comparado a 2005.

O contrato de compra e venda foi elaborado em conformidade com as diretrizes do Protocolo de GHG (Green House Gas) desenvolvido pelo World Resource Institute e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), atendendo assim os critérios de neutralidade em emissões de carbono aplicados para o consumo de energia elétrica das empresas.

O Conjunto Eólico Trairi situa-se no município de Trairi (CE), que possui 51 mil habitantes, e é composto de oito usinas: Fleixeiras I (30,0 MW), Guajirú (30,0 MW), Mundaú (30,0 MW), Trairi (25,4 MW), Cacimbas (18,9 MW), Estrela (29,7 MW), Ouro Verde (29,7 MW) e Santa Mônica (18,9 MW). Ao todo, são 86 aerogeradores com 212,6 MW de capacidade instalada e 102,3 MW médios de garantia física para comercialização.

Em 2018, o Conjunto Eólico Trairi passou a ser operado remotamente a partir do Centro de Operação da Geração, localizado na sede da Engie de Florianópolis (SC).

Siemens impulsiona transição energética no Brasil
NeoSolar e Schneider Electric firmam parceria para fomentar eletromobilidade no Brasil
ICMS Ecológico pode ser fonte de renda e financiador de sistema de proteção ambiental nas cidades da Mata Atlântica
Inmetro disponibiliza serviço de calibração para fonte eólica