Legado das Águas ganha prêmio com projeto de automação da rastreabilidade de plantas

O Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, foi reconhecido com o Prêmio Eco, oferecido pela Câmara Americana de Comércio (Amcham SP) às empresas que adotam práticas socioambientais responsáveis. O projeto Código Verde, sistema automatizado de rastreabilidade das plantas produzidas pelo viveiro da reserva ecológica, garantiu o prêmio na categoria Processos.

Reconhecido na edição anterior pelas inovações na gestão da reserva, a iniciativa chamou atenção em 2018 com o Código Verde, projeto que tornou possível garantir o padrão de qualidade durante todas as etapas do processo de produção das plantas, desde a identificação da matriz – planta da qual é coletada as sementes ou material de reprodução vegetativa – até o destino final.

Foto: Divulgação

Em parceria com a Associação Brasileira de Automação (GS1 Brasil), PariPassu, Zebra Technologies e a 3M, a iniciativa possibilitou que o processo de rastreabilidade de cada planta das espécies nativas da Mata Atlântica, todas de origem do território do Legado das Águas, até então realizado manualmente, se tornasse automatizado nos padrões GS1 - códigos de barra utilizados em todo o mundo. A identificação das plantas matrizes é um recurso fundamental para garantir a origem da produção com responsabilidade, conforme preza a legislação.

“Em uma colaboração voluntária de nossos parceiros, foi criado o primeiro processo completo de rastreabilidade automatizado de plantas da Mata Atlântica, que pode ser replicado para outros viveiros deste e de outros biomas. O benefício imediato é ter um inventário detalhado à disposição, com informações sobre tudo que aconteceu com cada lote de plantas. Com a formação do banco de dados, vamos melhorar o sistema de produção, fazendo estudos estatísticos, comparativos e compartilhando dados com pesquisadores”, afirma o diretor da Reservas Votorantim, David Canassa.

O projeto Código Verde já venceu, em 2018, o Prêmio Automação na categoria Sustentabilidade. A premiação, que é promovida pela GS1 Brasil, reconhece a criatividade e os esforços de empresas brasileiras que apostam na automação e padronização para aprimorar a gestão de seus negócios, com soluções de automação que aumentam a eficiência e a competitividade no mercado.

Localizado no Vale do Ribeira, no interior do estado de São Paulo, o Legado das Águas protege um território de 31 mil hectares, onde cerca de 75% da área de floresta encontra-se em estágio avançado de conservação. Realiza uma série de iniciativas para proteger o ecossistema e promover a geração de valor compartilhado, com atividades de pesquisa científica, produção de plantas nativas, educação ambiental, ecoturismo, proteção de espécies ameaçadas de extinção e o desenvolvimento socioeconômico do território onde se insere.

O viveiro do Legado das Águas, inaugurado em 2016, produz plantas de espécies nativas da Mata Atlântica local destinadas ao paisagismo, tanto para ambientes urbanos como para reflorestamento. Em suas estufas e pátios, numa área total em torno de 20 mil m², o viveiro tem capacidade produtiva de até 200 mil plantas por ano em tubetes e 30 mil plantas em vasos.

Shopping Parque da Cidade adota inovação em sistemas de gestão da água
Projeto fortalece posição estratégica do etanol
Encontro no Sesc Avenida Paulista discute os caminhos do fotoativismo
Transformar cidades em um lugar melhor para viver: o futuro sendo construído hoje