Liberação de água do reservatório de Xingó vai ser reduzida

O reservatório de Xingó (AL/SE), no rio São Francisco, reduzirá a defluência de 800 para 700m³/s. O novo patamar de operação será adotado, esta semana, pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) para aumentar o armazenamento de água dos reservatórios do Velho Chico durante o período chuvoso - que vai até abril - com o intuito de garantir a segurança hídrica o ano inteiro na região.

A redução do reservatório de Xingó, a 179km da foz do São Francisco entre os municípios de Piaçabuçu (AL) e Brejo Grande (SE), foi definida na última segunda-feira (4) devido ao menor volume de chuvas já registrado em janeiro. Com isso, as precipitações abaixo do esperado impactaram as vazões de escoamento e o volume acumulado nos reservatórios da bacia. A próxima reunião do grupo, formado por órgãos públicos, instituições da sociedade civil e entes privados, acontecerá em 18 de fevereiro para nova avaliação da bacia.

Rio São Francisco. Foto: Divulgação

O acordo estabelecido, em 21 de janeiro, determina que a vazão liberada deve ser revista sempre que houver diminuição de afluência aos reservatórios e as projeções indicarem menos de 50% de acumulação no Reservatório Equivalente do São Francisco – formado por Três Marias (MG), Sobradinho (BA) e Itaparica (BA/PE) – no fim do período chuvoso. Como a previsão para 30 de abril passou a ficar abaixo deste percentual, foi identificada a necessidade de reduzir o volume liberado por Xingó para reservar mais água na bacia hidrográfica.

Dados preliminares indicam que o volume útil do Reservatório Equivalente do São Francisco, em abril, estará abaixo de 50%. O patamar de 800m³/s só poderia ser mantido se as projeções indicassem um volume útil superior a 55% no conjunto de reservatórios formado por Três Marias (MG), Sobradinho (BA) e Itaparica (BA/PE) no fim do período chuvoso na bacia.

Se as projeções do início do ano apontavam que os reservatórios de Três Marias e Sobradinho chegariam respectivamente a 66,27% e 43,72% em 31 de janeiro, os volumes acumulados no último dia do mês passado ficaram respectivamente em 57,23% e 36,75%. Em 31 de janeiro, o Reservatório Equivalente do Rio São Francisco – formado por Três Marias, Sobradinho e Itaparica – estava com 42,93% de seu volume útil, sendo que um ano antes o acumulado era de 17,56%. Este ganho no volume de água acumulado se deve às medidas operativas adotadas ao longo de 2018.

Atualmente a vazão defluente mínima autorizada para os reservatórios de Sobradinho e Xingó é de 550m³/s. A primeira autorização para a prática desta vazão foi dada pela Agência Nacional das Águas (ANA). Por meio da Resolução ANA n° 1.291, de 17 de julho de 2017, e prorrogada pelas resoluções n° 1.943/2017, nº 30/2018, nº 51/2018 e nº 90/2018 – esta última autoriza a vazão mínima defluente até 31 de março deste ano. Este foi o menor patamar médio já adotado em Sobradinho desde sua construção em novembro de 1979.

A bacia do São Francisco passa por seca desde 2012, maior período contínuo do fenômeno já registrado na região. Por isso, desde abril de 2013, os reservatórios de Sobradinho e Xingó vêm operando com uma defluência mínima abaixo da praticada em situação de normalidade: 1300m³/s. O objetivo desta medida é assegurar a reservação e a segurança hídrica na bacia mesmo com chuvas e afluências abaixo da média nos últimos anos.

Desde 2017, a Chesf é responsável por executar testes de redução da vazão defluente na hidrelétrica de Xingó até o limite mínimo de 550m³/s.

Bike Itaú incentiva economia de CO2 na semana da mobilidade
Empreendedores investem em placas fotovoltaicas para reduzir custos com energia elétrica
Veracel usa bagaço de cana como alternativa para gerar energia
Renner utiliza energia solar para abastecimento de lojas