Líderes globais pedem mais rapidez nas soluções de adaptação ao clima

Na sequência de uma série de desastres climáticos relacionados ao aquecimento global que afetaram países em todo o mundo, foi lançada a nova Comissão Global de Adaptação. Esta união sem precedentes de líderes globais vem para catalisar um movimento mundial que dê escala e confira velocidade às soluções de adaptação às mudanças climáticas. A Comissão Global de Adaptação é liderada por Ban Ki-moon, 8º secretário geral das Nações Unidas, Bill Gates, co-presidente da Fundação Bill & Melinda Gates, e Kristalina Georgieva, CEO do Banco Mundial. A parceria já nasce com 17 países conveniados e 28 comissionados, representando todas as regiões do globo e todos os setores de desenvolvimento e indústria.

A adaptação diz respeito à gestão dos riscos associados às mudanças climáticas - de enchentes e secas à elevação do nível do mar e tempestades. Conforme indicado no Relatório Especial sobre Aquecimento Global de 1,5 ° C do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), os impactos prejudiciais da mudança climática estão sendo sentidos agora, muito mais cedo e mais poderosamente do que o previsto. O trabalho da Comissão elevará a visibilidade, a importância política da adaptação climática e incentivará soluções ousadas, como investimentos mais inteligentes, novas tecnologias e melhor planejamento para nos tornarmos mais resiliente às ameaças relacionadas ao clima.

Foto: divulgação

"Sem uma ação de adaptação urgente, colocamos em risco a segurança alimentar, energética e hídrica nas próximas décadas. O crescimento econômico contínuo e a redução da pobreza global são possíveis apesar desses desafios assustadores - mas apenas se as sociedades investirem muito mais em adaptação. Os custos de adaptação são menores do que o custo de fazer negócios como sempre, ou seja, sem levar a mudança do clima em conta. E os benefícios são muitas vezes maiores", declarou o 8º secretário geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Em seu primeiro ano, a Comissão supervisionará a preparação de um relatório de referência e apresentará suas conclusões e recomendações na Cúpula do Clima de 2019 do secretário geral das Nações Unidas. O relatório será informado por contribuições dos principais institutos de análise científica, econômica e política do mundo; definirá por que a adaptação aos riscos climáticos e à ação acelerada é essencial, que novas ações são necessárias e o que deve ser feito de maneira diferente; e como os governos, empresas e cidadãos podem começar a trabalhar hoje para tornar o mundo um lugar melhor.

"Estamos em um momento de alto risco e grande promessa. Precisamos de políticas para ajudar as populações vulneráveis a se adaptarem e precisamos garantir que os governos e outras partes interessadas apóiem a inovação e ajudem a entregar esses avanços às pessoas e lugares que mais precisam deles ", disse Bill Gates, co-presidente da Fundação Bill & Melinda Gates. "Se todos fizerem a sua parte, podemos reduzir as emissões de carbono, aumentar o acesso a energia a preços acessíveis e ajudar os agricultores em todos os lugares a cultivar lavouras mais produtivas".

Entre os obstáculos que retardam a adaptação ao clima, a Comissão destacou os tomadores de decisão e o público em geral que ainda não estão cientes de todas as oportunidades a serem obtidas por se tornarem mais resilientes e menos vulneráveis aos riscos naturais; governos e empresas que não incorporam os riscos das mudanças climáticas em seus planos, investimentos em desenvolvimento social e econômico.

"Nosso clima já mudou. Eventos climáticos dramáticos e temporadas voláteis são o novo normal ", disse Kristalina Georgieva, CEO do Banco Mundial. "Milhões de pessoas nos países pobres já estão vivendo com os efeitos da mudança climática. É uma cruel ironia que aqueles que menos contribuíram para a mudança climática são aqueles que são afetados e menos capazes de se preparar. Nós enfrentamos uma escolha: business as usual e torcer pelo melhor. Ou agimos agora e construímos para um futuro resiliente ".

A Comissão também convocará importantes defensores, coalizões, setor privado e atores da sociedade civil para promover atividades alinhadas a várias ações, incluindo segurança alimentar e meios de subsistência rurais, cadeias de suprimento globais, cidades, infraestrutura, finanças, proteção social e soluções baseadas na natureza.

Cora Van Nieuwenhuizen, Ministra de Infraestrutura e Gestão de Água da Holanda e Comissária iniciante, disse: "Estamos aqui para começar a mudar o curso da história e assegurar o futuro de nossas sociedades globais. A mudança climática afeta a todos nós. Não podemos esperar que as medidas destinadas a combater as alterações climáticas entrem em vigor. "

Os países conveniados

Países na vanguarda da adaptação assumiram a liderança na criação da Comissão Global de Adaptação. Os líderes desses países estão comprometidos em trabalhar juntos para avançar no trabalho da Comissão. Estes países incluem: África do Sul, Argentina, Bangladesh, Canadá, China, Costa Rica, Dinamarca, Etiópia, Alemanha, Grênada, Índia, Indonésia, Países Baixos, Malásia, México, Reino Unido, Senegal

"Os custos de adaptação às mudanças climáticas podem chegar a centenas de bilhões por ano até 2050. Chegamos a um ponto em que a adaptação é de interesse coletivo, com um forte argumento econômico para a ação. Nos próximos dois anos, a Comissão Global de Adaptação demonstrará que a adaptação à mudança climática não é apenas essencial, mas também uma oportunidade de mudar a forma como nossas sociedades planejam e investem. Ele fornecerá o roteiro para quais novas ações são necessárias e o que deve ser feito de forma diferente para garantir um desenvolvimento econômico mais sustentável e segurança para todos ", disse o CEO do Global Center on Adaptation, Patrick Vincent Verkooijen,.

"A mudança climática, que já foi vista como ameaça distante no futuro, está aqui agora. Como o novo relatório do IPCC deixa bem claro, sem uma ação urgente, as alterações do clima trarão devastação para as casas, as plantações e os negócios das pessoas ", disse o CEO do WRI-World Resources Institute, Andrew Steer. "Esta Comissão colocará a adaptação no centro da agenda de desenvolvimento, encorajando governos e empresas a se prepararem com urgência para um mundo em mudança."

Calendário 2019
Mulheres, inovação e protagonismo
Solvay inaugura fábrica no Brasil e amplia participação na química sustentável
Mudanças do clima estão tornando os incêndios maiores, mais quentes e perigosos