Moagem de cana apresenta redução na primeira quinzena de outubro

A quantidade de cana-de-açúcar processada no Centro-Sul totalizou 25,59 milhões de toneladas na primeira quinzena de outubro, 21,32% inferior às 32,52 milhões apuradas no mesmo período do último ano. Do início da safra 2018/2019 até 16 de outubro, o processamento chegou a 483,56 milhões de toneladas, queda de 3,54% se comparado ao mesmo período do ciclo anterior (501,30 milhões).

Foto: divulgação

Com efeito, até 16 de outubro deste ano, 15 unidades encerraram a safra 2018/2019. Essas empresas registraram uma redução de 15,5% na moagem. Na próxima quinzena, a expectativa é de que outras 64 usinas interrompam as operações.

"A retração observada decorre, em grande medida, da maior precipitação pluviométrica nas regiões produtoras do Centro-Sul durante o mês, além da redução do ritmo de processamento diário em várias unidades com oferta reduzida de cana nesse ciclo", disse o diretor técnico da União de Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Antonio de Padua Rodrigues.

Produção de açúcar e de etanol

A produção de açúcar somou 1,12 milhão de toneladas na primeira metade de outubro, com expressiva queda de 43,83% sobre o resultado em igual período da safra 2017/2018. Por sua vez, a fabricação de etanol reduziu apenas 6,62%, alcançando 1,48 bilhão de litros, sendo que 457,66 milhões de litros correspondem ao anidro e 1,02 bilhão ao hidratado.

Esses números retratam o maior direcionamento da matéria-prima processada para a fabricação do etanol. Nos primeiros quinze dias de outubro, o indicador registrou 67,83% de cana direcionada à produção do biocombustível. Esse percentual é significativamente superior aos 56,12% observados na mesma quinzena de 2017.

Desde o início da safra até 16 de outubro, a produção de açúcar atingiu 23,39 milhões de toneladas frente as 31,33 milhões no mesmo período de 2017 - retração de aproximadamente 8 milhões de toneladas até o momento. No caso do etanol, a produção acumulada alcançou 25,86 bilhões de litros, dos quais 8,00 bilhões de anidro e 17,87 bilhões de hidratado. Este último apresenta crescimento de 49,03% em relação ao acumulado da safra 2017/2018.

Padua esclarece: "A retração na fabricação de açúcar registrada nessa safra foi possível, entre outros fatores, porque 17 usinas com fábrica de açúcar optaram por não fabricar o produto no ciclo 2018/2019".

As unidades que só estão produzindo etanol passaram a representar cerca de 19% da moagem nesse ano, contra apenas 14,43% na média safra 2017/2018. 

Produtividade e qualidade da matéria-prima

A concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) alcançou 142,51kg por tonelada de cana nos quinze primeiros dias de outubro, contra 146,39 kg na mesma quinzena do último ano - queda de 2,65%. No acumulado até 16 de outubro, esse indicador atingiu 140,45 kg por tonelada, aumento de 2,67% em relação à safra 2017/2018.

Dados apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) - baseado em uma amostra de 157 usinas - indicam que o rendimento do canavial alcançou 65,0 toneladas por hectare colhido no mês de setembro, contra 72,3 toneladas por hectare no mesmo período 2017 (queda de 10,1%).

A mesma amostra aponta retração de 3,9% na produtividade acumulada desde o início da safra 2017/2018 até 1º de outubro (76,2 toneladas de cana por hectare ante 79,3 toneladas na safra 2017/2018).

Calendário 2019
Mulheres, inovação e protagonismo
Solvay inaugura fábrica no Brasil e amplia participação na química sustentável
Mudanças do clima estão tornando os incêndios maiores, mais quentes e perigosos