Oposição dificulta a aprovação da MP do saneamento, mantendo 100 milhões de brasileiros sem esgoto

Em sessão deliberativa extraordinária a Câmara de Deputados não avançou, na última segunda-feira (12), durante a apreciação da Medida Provisória 844, que moderniza o marco legal do saneamento.

Para a Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto (ABCON), a não votação da MP 844, devido à obstrução da oposição, está condenando 100 milhões de brasileiros a se manterem sem acesso aos serviços de saneamento básico.

Foto: divulgação

"A obstrução da votação deixa clara a prevalência do interesse de quem deseja manter o status quo, independente do impacto na população que continua sem acesso a tais serviços básicos, que impactam diretamente à saúde, além de agregar tantos outros prejuízos", alerta o diretor de Relações Institucionais da ABCON, Percy Soares Neto.

Percy ressalta que, ao obstruir a pauta de votação da MP que objetiva modernizar o marco regulatório do saneamento, ninguém considerou a opinião da população que vive nos postos de saúde para tratar da diarreia, da quantidade de dias que essas crianças deixam de frequentar a escola e, por consequência, no impacto na educação de nossa sociedade.

"A principal crítica dessa oposição que está obstruindo a pauta consiste no discurso de que a MP objetiva a privatização dos serviços de água, quando essa mesma oposição ignora que mais da metade dos brasileiros não têm sequer os serviços de coleta de esgoto. Seria como alegar que a MP vai piorar um cenário que atualmente já está catastrófico", completa Neto.

Tequaly passa a operar com sistema de saneamento básico em todo Brasil
Baterias residenciais formam rede de armazenamento na Alemanha
Nove mil anos em doze
Romênia propõe avanço modesto das renováveis