POSITIV.A produz primeiro frasco 100% reciclado a partir de plástico retirado do litoral no Brasil

A POSITIV.A acaba de lançar o primeiro frasco brasileiro que tem como matéria-prima plástico retirado do litoral -- o material é "interceptado" antes de poluir os oceanos. O recipiente inovador é oriundo do lixo recolhido por cooperativas de Santos, no litoral de São Paulo, e que é usado para embalar os novos lançamentos da POSITIV.A, como o lava-louças a base de coco, multiuso pronto para o uso, limpa-vidros, passa-fácil e frascos auxiliares.

A ideia dos novos frascos surgiu a partir do incômodo de encontrar tanta poluição nos mares. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), de 60% a 80% de todo o lixo no mar é plástico, o que impacta diretamente a vida marinha e desregula todo o ciclo alimentar.

"Começamos a pensar como poderíamos ir além do que estávamos fazendo e aprofundar o conceito de economia circular nos nossos produtos. Esse modelo de negócio é central para a POSITIV.A, pois vai de encontro com a nossa razão de existir. Por isso, aderimos a novos modelos que estejam conectados com a forma sistêmica que o mundo funciona. Essa forma sistêmica é essencialmente circular", explica o fundador e CEO da POSITIV.A, Alex Seibel. 

Foto: divulgação

Produzidos em PE 100% reciclado pós-consumo, totalmente recolhido no litoral paulistano, os novos frascos são desenvolvidos dentro do conceito de economia circular. Parte do material reciclado é proveniente do programa de coleta de resíduos realizado pela Boomera em parceria com cooperativas de catadores de materiais recicláveis. Por meio deste projeto os cooperados são beneficiados com a comercialização do material, garantindo que os mesmos sejam inseridos novamente na cadeia produtiva ao serem transformados em novos recipientes. Os resíduos são coletados no Litoral Sul de São Paulo, lavados, transformados em pequenas pedaços de material base chamados pelletes e então passam a ser usados para produzir a embalagem exclusiva da POSITIV.A.

"Visitamos cooperativas de reciclagem para entender o volume dos materiais descartados e a qualidade deles. Desenvolvemos um molde exclusivo da POSITIV.A com características de maleabilidade para não amassar facilmente e que pode ser reutilizado. O rótulo é serigrafado, o que contribui para evitar mais resíduos, além de ter faixas de cores diferentes para que todos consigam distinguir melhor um produto do outro. Os desafios foram muitos, toda etapa é uma novidade. Criar algo novo envolve mudança de hábito e de mentalidade, o esforço é grande mas muito recompensador", conta a sócia e diretora de produtos, Marcella Zambardino.

Calendário 2019
Mulheres, inovação e protagonismo
Mudanças do clima estão tornando os incêndios maiores, mais quentes e perigosos
Solvay inaugura fábrica no Brasil e amplia participação na química sustentável