Relatório de agências federais americanas alertam para riscos das mudanças climáticas

O relatório publicado por treze agências federais, na última sexta-feira (23), apresentou os mais relevantes avisos sobre os impactos das mudanças climáticas nos Estados Unidos. O documento prevê que se não forem tomadas medidas para mitigar as mudanças climáticas os danos causados na economia americana chegarão a 10% no final do século.

Foto: Página Sustentável

O estudo é relevante não apenas por seus cálculos precisos e por suas conclusões inequívocas, mas também por contradizer o negacionismo do presidente americano que aproveitou o frio intenso do feriado de Ação de Graças para questionar o aquecimento global, reforçando a confusão que se faz entre mudanças e variabilidades climáticas. Como a comunidade científica bem sabe, as mudanças climáticas não causam um aquecimento regular contínuo, mas um aumento da energia atmosférica que causa o aumento de eventos climáticos extremos como frentes frias fora do comum.

No sentido contrário, as 1656 páginas do relatório do governo americano, em linguagem direta, discorrem sobre os efeitos das mudanças climáticas na economia, saúde e meio ambiente, inclusive aumento de queimadas, perda de safras no meio-oeste americano e afundamento da infraestrutura no sul do país. Isso sem falar na interrupção da cadeia de suprimento e queda da renda agrícola que voltará aos níveis dos anos 1980 já na metade deste século.

Tequaly passa a operar com sistema de saneamento básico em todo Brasil
Nove mil anos em doze
Baterias residenciais formam rede de armazenamento na Alemanha
Romênia propõe avanço modesto das renováveis