Selo verde é concedido pela primeira vez a uma comercializadora de energia

A Nova Energia é a primeira comercializadora de energia elétrica a obter o Selo Energia Verde, concedido pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) no âmbito do Programa de Certificação da Bioeletricidade -  iniciativa que conta com a cooperação da Câmara de Comercialização de Energia (CCEE) e apoio da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel).

A certificação foi entregue para Nova Energia, e também para 15 usinas de bioenergia que renovaram o certificado para 2019, durante evento realizado no auditório da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) em 28 de fevereiro.

Foto: Divulgação

Na abertura da cerimônia de entrega das certificações, a vice-presidente do Conselho de Administração da CCEE, Solange David, destacou a importância do Selo Energia Verde e da cooperação técnica entre a CCEE, Unica e Abraceel: “A iniciativa contribui para qualificar e valorizar cada vez mais a geração de energia sustentável a partir da biomassa que tem papel fundamental no suporte a cadeias produtivas, em especial na região Sudeste do Brasil.”

O Selo Energia Verde é concedido desde 2015 a usinas produtoras de bioeletricidade que cumprem quesitos ambientais, de eficiência energética, bem como para consumidores de energia e comercializadoras no mercado livre. O selo é a primeira certificação no Brasil para energia produzida a partir da biomassa da cana-de-açúcar.

Para recebê-lo, a comercializadora precisa ser associada à Abraceel e membro da Câmara de Comercialização, além de ter adquirido energia elétrica de unidades produtoras com Certificado de Bioeletricidade. O contrato de aquisição tem que estar registrado na CCEE e corresponder a 0,3 MW médio/ano com prazo de validade de seis meses.

Shopping Parque da Cidade adota inovação em sistemas de gestão da água
Projeto fortalece posição estratégica do etanol
Transformar cidades em um lugar melhor para viver: o futuro sendo construído hoje
Encontro no Sesc Avenida Paulista discute os caminhos do fotoativismo