Siemens impulsiona transição energética no Brasil

Com inovações e soluções completas para auxiliar empresas e governos rumo ao desenvolvimento da transição energética para uma economia de baixo carbono, a Siemens acaba de lançar o Guia do CEO para Descarbonização, com objetivo de balizar ações de redução de emissões de CO2 em suas atividades. Iniciativas sustentáveis fazem a companhia prever uma economia de mais de € 20 milhões por ano com os investimentos em eficiência energética.   

O compromisso anunciado durante o Acordo de Paris em 2015, cuja meta global é neutralizar as emissões de carbono nas próprias operações fabris e instalações até 2030, com investimentos de € 100 milhões previstos, espera uma economia de mais de € 20 milhões por ano em ações de eficiência energética, nos processos industriais, frotas, energia renovável entre outras.

Foto: Divulgação

Com um vasto portfólio ambiental, a Siemens já ajudou seus clientes mundias a reduzir cerca de 609 milhões de toneladas de CO2, o que poderia ser comparado a mais de 1/3 das emissões do Brasil. Além disso, o Guia considera táticas de ações coletivas entre empresas, organizações e governo para acelerar o processo para uma transição para economia de baixo carbono. O material pode ser utilizado como referência para as empresas colaborarem com as metas do Acordo de Paris, que além dos esforços para limitar o aquecimento global no máximo a 2° até 2100, prevê para o Brasil a redução de 43% das emissões até 2030; a participação de 45% de renováveis na matriz energética; 10% de eficiência no setor elétrico; e tecnologias limpas no setor industrial.

A empresa anunciou que pretende investir globalmente € 100 milhões em projetos de eficiência energética em edifícios e fábricas até 2020 - ano em que prevê atingir metade de sua meta de redução das emissões mundiais de CO2 que foi iniciada em 2014.

Dentro dessa estratégia, a companhia quer conduzir o programa de eficiência energética e dos processos industriais; reduzir as emissões na frota; alavancar sistemas de energia distribuída; e comprar energia verde. Internamente, a Siemens no Brasil montou um grupo de trabalho formado por 15 especialistas de diferentes áreas para implementar ações para reduzir as emissões de CO2, incluindo a Precificação Interna de Carbono, que tem a finalidade de monetizar a pegada de carbono das operações da empresa e definir investimentos nas ações para neutralização de CO2.

"A transição energética é o caminho para a descarbonização no país. Iniciativas como essas são fundamentais para discutirmos os desafios e oportunidades do Brasil atual e, acima de tudo, de que forma nós, juntos, podemos contribuir com soluções e inovações que tragam mais eficiência para as empresas, qualidade de vida para a sociedade e desenvolvimento sustentável para o planeta", comenta o presidente e CEO da Siemens no Brasil, André Clark. 

Cidade Verde

Recentemente, a companhia entregou à Prefeitura de Jundiaí, em São Paulo, um estudo completo para a adoção de iniciativas verdes na cidade utilizando a CYPT (City Performance Tool), ferramenta desenvolvida pela Siemens para medir emissão de CO2 no local.

Entre as sugestões de ações que visam a redução de emissões de carbono em Jundiaí estão desde a utilização de ônibus elétricos e redução da demanda por carros, até o monitoramento de eficiência predial e iluminação viária inteligente. No cenário mais otimista, a previsão é que as emissões de gases do efeito estufa no município seja reduzido de 402,9 mil toneladas de carbono (ano passado) para 314,7 mil toneladas em 2050, caso sejam adotadas as medidas sugeridas no estudo.

ES: EDP instala posto elétrico em Cachoeiro de Itapemirim
Ternium transforma sucata em aço de qualidade
Metrô de São Paulo abastece estações com água subterrânea
Amazônia, soberania e governança global