Solar 21 chega ao mercado para democratizar o acesso à energia solar no país

Impactar e melhorar a vida das pessoas: esse foi o sonho que impulsionou os empreendedores Vinicius Ferraz, Lucas Sampaio e Ronaldo Cristiano a idealizar a Solar 21, uma startup fundada em Brasília e que oferece o aluguel de sistema solar fotovoltaico a custo zero de investimento. Mas o que isso quer dizer? O cliente consegue alugar as placas solares, enquanto que a empresa cobre o projeto, equipamento, instalação e manutenção.

O mercado de fontes renováveis no Brasil, como energia solar e eólica, cresce em ritmo acelerado, porém se encontra longe de um cenário realmente transformador. Segundo dados da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), nos EUA são mais de 1,6 milhões de residências com sistema de energia limpa instalados, em comparativo ao Brasil que é de apenas 29 mil, ou seja, cerca de 1,8% do mercado americano.

Foto: Página Sustentável

Para Vinicius Ferraz, cofundador e CEO da Solar 21, este cenário é um reflexo dos altos custos no para instalação de sistemas que produzem energia renovável. “Observamos que a grande dificuldade para a expansão de geração de energia limpa está no preço. Apesar dos incentivos fiscais, dos financiamentos e diminuição dos preços nos últimos anos, os sistemas são caros, exigindo um alto investimento inicial. O modelo de aluguel surgiu para preencher essa lacuna e alavancar o uso da energia solar no país”, diz o CEO.

Com pouco mais de um ano e meio de mercado, a Solar 21 já atua com projetos nos estados da Bahia, Rio de Janeiro e Brasília. No momento, a startup atende apenas empresas e organizações, ou seja, comércios, condomínios e industrias. Mas a expectativa é que em breve o sistema de aluguel seja disponibilizado também para residências.

Economia

Com contrato de aluguel assinado e projeto instalado, grande parcela da energia consumida virá do sistema solar fotovoltaico, e por isso acontece uma redução nos gastos. A diminuição gira em torno de 95%, mas por ser um sistema alugado, o cliente repassa 70% em forma de aluguel para a Solar 21, e fica com os 25% restante.

Um exemplo, se o gasto antigo mensal era R$ 2 mil, com o sistema instalado, o novo gasto será de R$ 1.400. Este valor somado a R$ 100,00 da nova conta de energia da concessionária, totalizaria R$ 1.500 de custo. Uma economia de R$ 500 todo mês para o cliente. Além disso, o consumidor poderá ter acesso ao sistema de gerenciamento solar através de um aplicativo. Ou seja, a Solar 21 disponibiliza gratuitamente, os dados de produção do sistema e também do consumo de energia da concessionária. Com isso, é possível realizar a gestão de energia e saber o valor da conta, antes mesmo da concessionária enviar a fatura.

Este tipo de modalidade foi estruturado em cima de um modelo de negócio já consolidado nos EUA, pertencente ao bilionário Elon Musk, fundador da gigante Tesla.

Transporte de Produtos, Logística e Frota Sustentável
Rede Brasil promove atividades em conferência mundial sobre mudanças climáticas
CCEE indica aumento de 2% no consumo de energia em novembro
Merck instala painel solar 3G em Realengo