SP: moObie busca ampliar operação em Campinas

Maior plataforma de carsharing do Brasil, a moObie mantém seu trabalho de expansão. Com o objetivo de ampliar o alcance e a consistência de seu modelo, a startup escolheu a cidade de Campinas, segunda maior economia do estado de São Paulo, para intensificar sua operação na região.

Um dos motivos para a empresa escolher a cidade é a alta capacidade de demanda da mesma. Campinas é um dos principais municípios do Brasil no quesito proporção de carro por habitante: são 607 mil carros, proporcional a 51% da população - na cidade de São Paulo, essa proporção é de 49%. Campinas possui veículos da plataforma posicionados em todas as regiões da cidade inclusive em Barão Geraldo, com carros que contemplam tanto o público deseja um modelo mais econômico quanto com que procura uma alternativa de luxo ou esportiva, circulando assim por todos os padrões financeiros.

Foto: Divulgação

A cidade é também uma das que mais possuem usuários do app, mostrando um alto engajamento da população local com o compartilhamento de carros. Desde a chegada da moObie na região, já houve quase 100 reservas concluídas - são quase 8 mil usuários cadastradas na cidade do interior paulista.

Com isso, a moObie pode aprimorar ainda mais sua demanda na região, promovendo uma série de ações com a população da RMC para entenderem o funcionamento do serviço e as vantagens da plataforma. A expansão do carsharing na cidade é uma vantagem para os moradores locais, que sofrem uma série de dificuldades com o transporte público local, caro e com pouca inserção nos bairros.

"Entendemos que o carsharing é uma ideia disruptiva que deve trazer profundas mudanças à noção de mobilidade urbana e compartilhamento. Campinas pode ser considerada uma cidade muito aberta a conceitos novos e tecnologia, e que deve ser um dos motores dessa expansão em 2019", afirma Tamy Lin, CEO e fundadora da moObie.

O crescimento da moObie e do modelo de carsharing passar por uma série de investimentos e parcerias que a empresa tem efetuado. Recentemente, a startup divulgou que irá investir por volta de R$ 15 milhões até o final de 2019, e lançou parcerias-chave com empresas como a montadora Toyota e a seguradora Liberty.

O modelo tradicional de compartilhamento de carros, independentemente desses novos testes, acontece de Pessoa para Pessoa (P2P) por meio de um app intuitivo e prático. O condutor que precisa de um carro cadastra o cartão de crédito e a CNH pelo celular, que é avaliada pelo time da moObie quanto à validade e regularização, além de outros critérios que garantem a segurança da comunidade. O proprietário cadastra seu carro que passa por uma validação na qual são verificados a situação junto ao Detran/Denatran, vigência do seguro e critérios de elegibilidade.

Depois de cadastrado, o interessado acessa o mapa para analisar os veículos mais próximos que atendem a sua necessidade,o app para buscar o veículo disponível mais indicado à sua necessidade em um mapa de localização, verifica preço e solicita a reserva. Do outro lado, o dono visualiza o pedido e tem autonomia para aceitar ou não a solicitação na data especificada, de acordo com sua disponibilidade. O pagamento é feito no ato da confirmação da reserva via cartão de crédito do condutor e entra na conta do proprietário do carro cadastrada na moObie em datas pré-definidas.

No ato da entrega das chaves, é realizado um check-in no próprio app e na devolução é feito checkout via celular. O carro deve ser devolvido nas mesmas condições em que foi entregue, limpo e abastecido. Caso haja infração ou acidente durante a locação, há processos preestabelecidos para que o parceiro nunca tenha prejuízo. O número da habilitação do usuário fica registrado e o carro está segurado durante todo período de locação. Se houver sinistro, a seguradora da moObie é a responsável e não a do proprietário. E se houver infração, os pontos vão para o usuário, não para o dono do carro.

Link relacionado:

Conferência Transporte de Produtos, Logística e Frota Sustentável

ABB apresenta solução de última geração neutra em CO2
Armazenamento Energético em Geração Distribuída
Brasil está em 56º lugar no ranking de iniciativas urbanas sustentáveis
Programa que reciclou mais de 50 milhões de garrafas de vidro ganha escala setorial