Thomson Reuters vai neutralizar emissão de carbono até 2020

Para celebrar o Dia da Terra, uma das datas mais importantes sobre conscientização ambiental, a Thomson Reuters, multinacional de soluções em tecnologia para os segmentos fiscal, tributário, jurídico, contábil e de comércio exterior, reforça seu compromisso com a sustentabilidade e anunciou que até o final de 2019 neutralizará a emissão de carbono, tendo como meta principal utilizar 100% de energia renovável em seus escritórios e data centers globais até 2020.

Nos últimos oito anos, a Thomson Reuters reduziu consistentemente a emissão de carbono, o que resultou na otimização dos seus processos e sistemas de tecnologia em todo o mundo, incluindo em seus principais mercados: Brasil, Canadá, Índia e EUA. Com este avanço, a empresa espera compensar 100% das emissões de gases de efeito estufa até o fim deste ano. Já para 2020, o foco é usar 100% de energias renováveis em suas atividades no mundo.

Stephane Bello, vice-presidente executivo e diretor financeiro, anuncia as metas sustentáveis para o próximo ano. 
Foto: Divulgação

“O Dia da Terra é o maior evento ambiental do mundo. Estamos orgulhosos de anunciar que vamos nos juntar à lista de muitas empresas que fizeram a mudança para se tornarem neutras em carbono”, explica Stephane Bello, vice-presidente executivo e diretor financeiro da Thomson Reuters.

No Brasil, por exemplo, a Thomson Reuters tem apoiado a CO2logic, organização internacional que tem como objetivo reduzir a emissão de gás carbono. A entidade monitora e fiscaliza o manejo florestal nas florestas nativas do Pará desde 2008, para evitar o desmatamento não planejado. Além de contar com treinamentos técnicos e o apoio dos moradores locais, a iniciativa tem reduzido as ações ilegais, regenerado e aumentado a quantidade de carbono antes retirado desta floresta.

Futuramente, a Thomson Reuters espera reduzir ainda mais a emissão de carbono vindo da empresa, por meio de abordagens inovadoras para um impacto social positivo. Para esses objetivos, a multinacional definirá metas de redução de carbono que serão auditadas externamente, para que os padrões internacionais sejam cumpridos. “Como uma organização global, temos uma responsabilidade compartilhada de fazer negócios de forma a respeitar, proteger e beneficiar nossos clientes, funcionários, comunidades e meio ambiente”, finaliza Bello.

Mais uma cidade será destruída por barragem de mineração?
InpEV passa a ser signatário do pacto global
FSC como instrumento para a conservação da biodiversidade
Shopping Anália Franco instala sistema de reuso de água