Undesa lança ferramenta para compartilhar soluções em água e energia

Água e energia são assuntos interconectados e cruciais para a Agenda 2030 da ONU. No Brasil a disponibilidade de água tem ligação direta com boa parte da geração de energia, uma vez que a fonte hidráulica responde por cerca de 70% do suprimento nacional de eletricidade. Ao mesmo tempo, o processo de tratamento e fornecimento de água potável é altamente dependente de eletricidade. Mesmo considerando as demais fontes de geração, o uso de recursos hídricos é intensivo em 90% da geração elétrica mundial; 1 bilhão de pessoas no mundo não têm acesso a eletricidade; e 2,1 bilhões de pessoas não dispõem de água potável em casa.

A correlação entre água, energia e desenvolvimento sustentável foram os pontos em comum nos discursos dos representantes da Itaipu Binacional e do Departamento de Desenvolvimento Econômico e Social das Nações Unidas (Undesa), durante o lançamento da plataforma Rede de Soluções Sustentáveis em Água e Energia, na Conferência das Partes (COP), no início de dezembro, em Katowice, na Polônia.

Foto: Página Sustentável

A Rede é consequência de uma parceria firmada entre as duas instituições em março. A iniciativa passa a contar com uma plataforma para compartilhar conhecimentos e boas práticas. 

“A próxima década é uma janela de oportunidade para a comunidade internacional atuar nessas questões e promover avanços significativos. Nesse cenário, a abordagem integrada dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 6 e 7 é uma ferramenta poderosa e Itaipu é um exemplo disso, como pude testemunhar pessoalmente no último mês de maio [quando esteve na usina]”, disse o subsecretário geral das Nações Unidas para a Undesa, Liu Zhenmin.

A proposta da Rede é atrair outras organizações, governos ou empresas que trabalhem com essa abordagem integrada entre água e energia. Para aderir à plataforma, a Undesa solicita estudos de caso sobre as práticas dos interessados. Após análise, os relatórios serão disponibilizados no site da Rede de Soluções Sustentáveis em Água e Energia. 

Aeroporto Salvador Bahia pretende economizar 2 milhões de m³ com sistema de reuso
Energia solar fotovoltaica ocupa sétima posição na matriz elétrica brasileira e ultrapassa nuclear
FSC reforça a importância das florestas para o desenvolvimento sustentável
Setor sucroenergético impulsiona economia e preservação do meio ambiente no Triângulo Mineiro