AkzoNobel busca startups e institutos de tecnologia para desafio global de inovação

As tintas da AkzoNobel já ajudam a limpar o ar, suportam o calor extremo, reduzem a perda, consumo de combustível e lidam até com as condições em Marte. Mas a empresa holandesa, que no Brasil é detentora de marcas como Coral, Sikkens e International, quer ir além: a companhia acaba de abrir inscrições para o desafio global "Paint the Future", cujo objetivo é criar oportunidades de negócios sustentáveis em colaboração com startups, scale-ups, institutos de pesquisas e empreendedores. A AkzoNobel quer combinar sua escala global, conhecimento e expertise com as soluções geniais de empresas em estágios iniciais e visionários, trazendo mais tecnologia e inovação ao universo de tintas e revestimentos.

Foto: Divulgação

Lançado em parceria com a KPMG, o desafio dará aos vencedores a chance de firmar um acordo com a companhia para o desenvolvimento colaborativo de um negócio sustentável. "Como uma empresa de tintas e revestimentos orientada por inovação e sustentabilidade, temos uma visão clara do que nossos clientes precisam e esperam do futuro, bem como muito conhecimento e recursos para compartilhar", afirma o presidente da AkzoNobel para a América do Sul, Daniel Geiger Campos.

O desafio está focado em cinco áreas: previsão de desempenho; aplicações inteligentes; soluções circulares; melhoria da funcionalidade; e infusão de ciência da vida. As inscrições podem ser feitas por meio da plataforma on-line até 1º de março de 2019. No site, é possível encontrar detalhes sobre os temas e o processo de cadastro dos projetos.

Especialistas da AkzoNobel selecionarão os finalistas para um evento em Amsterdã, entre 14 e 16 de maio, no qual serão revelados os vencedores. "Nossa abordagem colaborativa conectará os premiados com experts e recursos para ajudá-los a acelerar, testar, lançar e escalar suas iniciativas", finaliza Campos.

 

Renner utiliza energia solar para abastecimento de lojas
Um em cada três dos focos de queimadas na Amazônia tem relação com desmatamento
Eternit aposta na telha fotovoltaica
EDP e Eneva inauguram primeira estrada construída com cinzas de carvão