Crescimento de emprego em energia nos EUA supera taxa nacional

O setor energético dos Estados Unidos empregou 6,5 milhões de trabalhadores em 2017, um aumento de 133 mil empregos em relação ao ano anterior, segundo o Relatório U.S. Energy & Employment Report (USEER) que acaba de ser divulgado pela Energy Futures Initiative (EFI) e pela National Association of State Energy Officials (NASEO). 

A taxa de crescimento dos empregos em energia foi de 2%, índice ligeiramente acima da média nacional de 1,7%. Mas esse cenário de crescimento não está sendo acompanhado pela oferta: mais de duas em cada três empresas ouvidas (70%) relataram dificuldade em contratar trabalhadores qualificados nos últimos 12 meses. Para 2018, as empresas participantes da pesquisa anteciparam uma expansão de 6,1% no emprego, excluindo o setor de veículos, indicando que a demanda por mão de obra qualificada permanecerá aquecida.

O relatório analisou quatro setores da indústria de energia nos EUA: geração de energia elétrica e combustíveis; transmissão, distribuição e armazenamento; eficiência energética; e veículos. Os empregos nos setores de energia foram responsáveis por quase 7% de todos os novos empregos em todo o país em 2017.

Os empregos na geração de eletricidade a gás natural continuaram a crescer, adicionando mais de 19 mil novos empregos, à medida que o gás natural continua a ascender à posição de combustível número um para geração de eletricidade nos EUA. As empresas de energia solar empregaram, total ou parcialmente, 350 mil pessoas em 2017. Isso representa uma redução de 24 mil postos de trabalho em energia solar - a primeira perda líquida de empregos desde que os empregos solares foram compilados pela primeira vez em 2010.