Geração distribuída nos planos da CPFL e Cemig

A CPFL avaliou o impacto da geração distribuída nas redes elétricas. Hoje, toda a energia que passa pelos fios e transformadores de uma rede urbana é controlada pela distribuidora. O que acontece quando painéis fotovoltaicos começam a injetar eletricidade em quantidade significativa na rede? O trabalho mostra que a rede consegue suportar uma penetração de até 20% de microgeração solar sem precisar de reforços. A partir daí, será necessário estudar cada configuração para investir em reforços da rede.

Já a Cemig está fazendo parcerias para ajudar a implantar um novo modelo de negócio: as fazendas solares. O comércio próximo a uma fazenda dessas podem alugar um lote dos painéis, ao invés de ter que investir em um painel próprio. A Cemig estima que, em média, a energia acaba saindo entre 15% a 20% mais barata do que a tradicional, com as mesmas garantias de suprimento que tem hoje.

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53068807/rede-pode-suportar-ate-20-de-gd-aponta-cpfl

https://www.valor.com.br/empresas/5672619/cemig-busca-socios-para-investir-em-geracao-distribuida

Link relacionado:

Conferência Novos Modelos de Negócios para o Setor Elétrico

Cabify adere ao Pacto Global da ONU
Ford inicia produção de van elétrica para entrega StreetScooter
Enel vai expandir parque eólico no Brasil
Pirlimpimpim?