Nestlé investe em sistema de reúso de água

A Nestlé implementou um projeto para contribuir com a meta global de reduzir a retirada de água por tonelada de produto em 35% até 2020 – um patamar difícil, que mobiliza investimentos em redução de consumo, tratamento e reúso de água nas diferentes etapas da cadeia produtiva. No ano passado, a companhia reduziu em 10% o consumo absoluto de água nas fábricas em relação a 2016. Com isso, economizou, em um ano, um volume equivalente a 458 milhões de litros, o suficiente para abastecer uma cidade de 8.300 habitantes no período. No Brasil, a companhia já está bem perto de atingir a meta global, tendo reduzido em 32,7% o volume de água na produção desde 2010.

Foto: divulgação

Uma das metodologias adotadas para reduzir a captação do recurso é o uso de água extraída do leite, durante a fabricação de produtos lácteos diversos, aproveitando o subproduto em outros processos fabris. Este método é adotado nas fábricas de Araçatuba, Araraquara (São Paulo), Ibiá, Ituiutaba (Minas Gerais), Jataí (Goiás), Carazinho e Palmeira das Missões (ambos no Rio Grande do Sul), além da fábrica de cápsulas de café Nescafé Dolce & Gusto, em Montes Claros (MG).

A utilização de energia limpa também está na lista de iniciativas sustentáveis e 100% da energia elétrica usada nas unidades fabris, sedes administrativas e centros de distribuição da companhia é de origem renovável, o que evitou a emissão de 50 mil toneladas de CO2 no último ano. A empresa começou a utilizar biomassa para produção de energia no país em 1983 - ano em que também foi plantada a Floresta de Mirabella, unidade florestal da companhia que fica a 70 km de Montes Claros e representa um estoque de carbono de cerca de 290 mil toneladas de CO2 equivalente.