O balzaquiano IPCC

Sobre o aniversário de 30 anos do IPCC, o Observatório do Clima diz que "como toda balzaquiana, a rede de cientistas da ONU chega a essa idade preocupada com duas coisas: com a própria imagem e com sua estabilidade financeira". Ao longo destas décadas, a rede se formou, aprendeu por tentativas (muitas) e erros (nem tantos) a expressar claramente o entendimento de milhares de cientistas sobre os múltiplos aspectos da mudança do clima e de suas causas. Sob sua orientação, modelos climáticos foram desenvolvidos, postos a prova e os resultados de suas simulações foram escrutinados com o que há de melhor na ciência. E, quase que sob encomenda, duas ou três gerações de modelos macroeconômicos foram desenvolvidos e testados para elaborar cenários dos impactos sociais e econômicos que poderão vir com a mudança do clima e as necessárias ações de mitigação e adaptação. Atravessou crises de credibilidade, sempre sob o cerrado ataque do dinheiro dos fósseis patrocinando think tanks negacionistas.

Crédito/Foto: Divulgação

Se o painel de cientistas conseguiu tudo isso com os apertos financeiros de praxe, a retirada dos EUA do rol de partícipes de Paris deixou um buraco nas contas que dificilmente será coberto. O que é lamentado por muitos cientistas preocupados em não mais enxergar com a mesma clareza a situação atual e as alternativas de futuro que o IPCC se esmerou em produzir.

Fonte: ClimaInfo

http://www.observatoriodoclima.eco.br/ipcc-chega-aos-30-preocupado-com-verba-e-desinformacao/

http://www.observatoriodoclima.eco.br/%EF%BB%BF%EF%BB%BFipcc-30-o-que-dizem-os-cientistas/