O crescimento do mercado fotovoltaico do Brasil

O número de instalações de microgeração de eletricidade saltou de quase nada em 2013, para quase 31 mil hoje. 99% delas são placas fotovoltaicas instaladas em tetos, pequenos lagos, telhados de escolas e lojas. O BNDES abriu uma linha de financiamento para colocar painéis em casas, o que melhorará o retorno do investimento. Na semana passada, o WWF lançou uma calculadora para estimar o custo e o tempo de retorno destes sistemas. O cálculo leva em conta o local, portanto a insolação média, e o valor da tarifa de energia da concessionária.

Foto: divulgação

Interessante observar que, desde há muito tempo, a tarifa de eletricidade na zona rural é fortemente subsidiada e chega a ser 1/3 da tarifa residencial normal. Isso acaba sendo um obstáculo para a expansão das placas fotovoltaicas exatamente nos locais onde bate mais sol, onde o consumo poderia ser coberto com ajuda de baterias e onde as concessionárias teriam grande redução de custos de manutenção de redes de baixa densidade.

Em tempo: o número de instalações análogas na Índia e na China se mede em dezenas de milhões.

https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,energia-solar-avanca-no-brasil-e-atrai-empresas,70002379078

http://www.eficienciaverdebb.com.br/

https://www.wwf.org.br/wwf_brasil/?65983/Lancada-calculadora-para-viabilizar-projetos-de-energia-fotovoltaica