Países se comprometem a fazer mais pelo clima

Brasil participou de dois encontros sobre mudanças climáticas, realizados na semana passada, em Berlim e Bruxelas. Apesar disso, o país não figura entre as mais de duas dezenas de nações que se comprometeram a explorar opções para elevar seus compromissos climáticos até 2020 em uma declaração firmada paralelamente à reunião Ministerial sobre Ação Climática.

Foto: divulgação

Por parte da União Europeia veio a declaração de que o bloco está posicionado para elevar de 40% para 45% suas metas de redução de gases de efeito estufa. Já a França e a Alemanha - que tiveram um encontro de líderes no intervalo entre as reuniões climáticas de Berlim e Bruxelas - firmaram o compromisso de desenvolver uma estratégia para que a União Europeia seja neutra em carbono até 2050. Em uma declaração conjunta surpreendentemente forte, a Alemanha e a França afirmaram que essa estratégia não é apenas uma necessidade, mas uma oportunidade econômica. Os dois países também estão empenhados em garantir que a União Europeia se comprometa a atualizar na COP24, em dezembro deste ano, os seus compromissos climáticos (NDCs) até 2020.

Nos Diálogos de Petesberg, a Chanceler Alemã Ângela Merkel disse que a Alemanha está em vias de duplicar o financiamento público do clima até 2020, em relação aos níveis de 2014. Ela também declarou que a Alemanha apoiará o preenchimento do Fundo Verde para o Clima, dando esperança de que os países desenvolvidos poderão cumprir a promessa, feita na COP15, de mobilizar 100 bilhões de dólares ao ano até 2020 para as nações em desenvolvimento.

Os principais tópicos discutidos nas duas reuniões incluíram as regras que irão reger o Acordo de Paris, os fluxos de financiamento do clima para os países em desenvolvimento e a eliminação dos combustíveis fósseis.

Confira as principais dúvidas sobre o sistema solar
Calendário 2019
Mudanças do clima estão tornando os incêndios maiores, mais quentes e perigosos
Mulheres, inovação e protagonismo