A agenda climática à espera do novo presidente

Um artigo "otimista" de Paloma Oliveto, publicado no Correio Braziliense, chama o(a) novo(a) presidente(a) a assumir os desafios colocados pelo cumprimento do prometido pelo país junto ao Acordo de Paris, e a avançar planos de descarbonização da economia no longo prazo, compatíveis com a meta de limitação do aquecimento global em 1,5oC. O artigo traz uma visão panorâmica da abordagem do desafio climático presente (ou não) nos programas dos candidatos. Oliveto conversou com Carlos Rittl, do Observatório do Clima, e Raquel Biderman, do WRI, que criticaram as declarações e o programa de Bolsonaro. Para Raquel, "combater a mudança climática não é uma escolha. Não se trata de uma questão de ambientalistas, mas da sobrevivência da economia. Retirar o país da plataforma é suicídio".

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2018/10/03/interna-brasil,709779/o-desafio-de-mostrar-as-contribuicoes-do-brasil-com-a-agenda-do-clima.shtml

Tetra Pak apresenta websérie sobre histórias de vida daqueles que atuam com reciclagem no país
PLD cai 15% em todos os submercados
Qual é a contribuição dos transgênicos para o meio ambiente?
Agricultura brasileira e redução dos gases de efeito estufa