Conselho Europeu exige que empresas financeiras acompanhem os impactos ambientais de seus financiamentos

O conselho, que reúne os ministros de cada um dos países da UE para adotar legislação e coordenar políticas no bloco europeu, tomou medidas importantes para fomentar práticas sustentáveis nos investimentos financiados por empresas financeiras.

Foto: Divulgação

A primeira medida foi a introdução de um sistema obrigatório de declaração para as empresas integram fatores ambientais, sociais e de governança em suas decisões de investimentos. Uma vez que os agentes financeiros são designados pelos clientes para tomarem a decisão de onde investir, a proposta busca evidenciar os riscos e oportunidades também no que tange à sustentabilidade ou impacto climático de seus produtos e portfólios.

A segunda foi a criação de uma nova categoria de benchmark financeiro, para padronizar as metodologias de avaliação da pegada de carbono do portfólio de investimentos da empresa, com dois novos tipos: baixo carbono e impacto positivo de carbono - que seleciona apenas componentes que contribuem para alcançar o limite de 2°C estabelecido no Acordo de Paris.

ABB apresenta solução de última geração neutra em CO2
Brasil está em 56º lugar no ranking de iniciativas urbanas sustentáveis
Armazenamento Energético em Geração Distribuída
Programa que reciclou mais de 50 milhões de garrafas de vidro ganha escala setorial