COP: Ibá apresenta contribuições do setor para a biodiversidade

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) apresenta as contribuições do setor para a construção do desenvolvimento sustentável brasileiro e conservação da biodiversidade, reforçando o tema da 14ª Conferência das Partes da Convenção da Diversidade Biológica (14ª COP CDB), que segue até o dia 29 de novembro, no Egito.

O setor atua diretamente contribuindo com 12 das 20 metas de Aichi, estabelecidas junto com o Plano Estratégico de Biodiversidade 2011-2020, em 2010, na 10ª Conferência das Partes (COP10), realizada em Nagoya (Japão). O Brasil aprovou as metas nacionais de biodiversidade em 2013, assim como houve a aprovação, em 2015, da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Foto: Página Sustentável

Para a Ibá, o Brasil desempenha um papel fundamental na agenda global de conservação de diversidade biológica e a participação do setor privado é fundamental, especialmente considerando setores diretamente ligados ao uso de recursos naturais.

O setor de florestas plantadas destina à conservação aproximadamente seis milhões de hectares de vegetação natural em Áreas de Preservação Permanente (APPs), áreas de Reserva Legal (RL) e Reservas Particulares de Patrimônio Natural (RPPNs). Para cada hectare plantado para fins comerciais, 0,7 hectare é destinado à conservação.

A Ibá se reuniu previamente com negociadores brasileiros para apresentar o setor e discutir temas de interesse que serão tratados na COP e participará das reuniões no Egito com vistas a contribuir com as posições brasileiras, sempre tendo como base as decisões preliminares.

A área ocupada pelo setor florestal, tanto para plantios, quanto para fins de conservação, representa menos de 2% do território nacional; e ainda assim essa pequena extensão possui índices positivos de biodiversidade. Por exemplo: das espécies ameaçadas de extinção, 38% dos mamíferos e 41% das aves são encontradas nessas áreas. Isso se deve principalmente à conservação de vegetação natural nos biomas, à criação de corredores ecológicos que favorecem a conectividade e à redução do efeito de borda, bem como às boas práticas de manejo e colheita florestal. As áreas de conservação das empresas têm se tornado refúgio para a biodiversidade brasileira.

Os dados estão detalhados no documento “Florestas Plantadas e a Conservação da Biodiversidade”, entregue aos negociadores brasileiros e disponibilizado no site da Ibá. O documento apresenta algumas contribuições do setor de florestas plantadas para a construção do desenvolvimento sustentável brasileiro, tendo como referência as metas de biodiversidade e, de maneira mais ampla, os ODS.

Além disso, voltado para diversos públicos, desde o mais técnico até o leigo, foi produzido um vídeo que apresenta ações do setor florestal que contribuem para a conservação da biodiversidade, incluindo indicadores positivos desses programas.

 

Renováveis na Alemanha passam o carvão
Uso da água, de novo e sempre
Saiba porque sua empresa deve aproveitar energia fotovoltaica
Levaremos 120 anos para aproveitar o potencial da bioeletricidade?