Estudo francês mostra custos elétricos menores em função das renováveis

A Agência de Meio Ambiente e Matriz Energética (Ademe), em seu estudo "Trajetória para a evolução do mix energético 2020-2060”, avaliou o impacto dos custos energéticos para o consumidor francês com forte desenvolvimento das energias renováveis - média de 85% em 2050 e mais de 95% em 2060. O levantamento destaca que a evolução das renováveis para tais níveis incorrerá em uma redução da conta de energia elétrica dos franceses. Mesmo sem considerar os previsíveis aumentos dos custos com combustíveis fósseis e emissões de carbono, os custos totais com energia elétrica no longo prazo (2050) deverão cair para €90/MWh frente aos €100/MWh atuais. Nos cenários estudados, a pesquisa prevê o fim do incentivo às fotovoltaicas em 2030 e às eólicas onshore em 2035. Além da progressão das renováveis, o estudo também contempla o surgimento da nova geração de energia nuclear (EPR) que ainda teria um grande percurso para se tornar competitiva.

Aeroporto Salvador Bahia pretende economizar 2 milhões de m³ com sistema de reuso
FSC reforça a importância das florestas para o desenvolvimento sustentável
Energia solar fotovoltaica ocupa sétima posição na matriz elétrica brasileira e ultrapassa nuclear
Setor sucroenergético impulsiona economia e preservação do meio ambiente no Triângulo Mineiro