MME: R$ 6,8 bi para 53 novas usinas de energia limpa

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, assinou recentemente as outorgas para construção de 53 empreendimentos provenientes do Leilão de Energia Nova A-6, realizado em agosto de 2018. Os projetos somam R$ 6,8 bilhões em investimentos e 1.572.356 kW de potência.

Foto: Página Sustentável

A economia para os consumidores pode chegar a R$ 20,8 bilhões ao longo da duração dos contratos, que variam de 20 a 30 anos. Para projetos de geração hidráulica, o contrato é de 30 anos. Para eólica, 20 anos e para termelétricas, 25 anos.

Bahia, Goiás, Maranhã, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo serão comtemplados com os empreendimentos. O prazo de entrada de operação comercial das usinas é em janeiro de 2024.

Dos 53 empreendimentos outorgados, 44 correspondem à geração de energia eólica, dois de geração térmica (sendo um a gás natural e outro à biomass) e sete geradoras de energia hidráulica - sendo três Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e quatro Centrais de Geração Hidrelétrica (CGH). A Bahia lidera o número de empreendimentos com 17 usinas.

TAGS :
Aeroporto Salvador Bahia pretende economizar 2 milhões de m³ com sistema de reuso
FSC reforça a importância das florestas para o desenvolvimento sustentável
Energia solar fotovoltaica ocupa sétima posição na matriz elétrica brasileira e ultrapassa nuclear
Setor sucroenergético impulsiona economia e preservação do meio ambiente no Triângulo Mineiro