Mudança climática muda os cálculos das seguradoras

Os incêndios florestais dos últimos dois anos na Califórnia e na Europa pegaram as seguradoras de surpresa. Os complicados cálculos atuariais usados para definir os prêmios não avaliaram corretamente a extensão e a duração dos incêndios. E este é um exemplo dos desafios que as seguradoras estão precisando enfrentar, agora que as famosas médias históricas deixaram de ser um território seguro. Um artigo do Wall Street Journal conta que "os efeitos do lento aquecimento do planeta são difusos. As previsões dos efeitos são imprecisas e os fatores que as impulsionam são objeto de discussão. Mas diante de um futuro no qual o planeta vai se aquecendo, o mundo dos negócios e das finanças está começando a colocar um preço na mudança do clima". Se há tempos as ultraconservadoras seguradoras punham as barbas de molho quando ouviam falar do clima, agora o tema saiu das mesas das diretorias direto para as mesas dos modeleiros e atuários.

https://www.wsj.com/graphics/climate-change-forcing-insurance-industry-recalculate

Setor de cerâmica cria iniciativa para impulsionar desenvolvimento sustentável
Fiesp consegue acordo para reduzir aumento de 35% no gás
MG: projeto integrado de reciclagem aprimora coleta seletiva em Pedro Leopoldo
Controle biológico em hortas urbanas reduz impacto ambiental