RN e PB: Bacia Piancó Piranhas Açu reutiliza água em quatro municípios

Em um cenário de escassez hídrica, a discussão sobre reuso de água está sendo impulsionada principalmente no Nordeste e grandes centros urbanos brasileiros. A meta proposta para reuso não potável direto é de aproximadamente 13 m³/s até 2030, frente aos quase 2 m³/s estimados em 2017. Esse número representaria 4% do total de água reutilizada no mundo, valor que colocaria o Brasil numa posição de destaque, segundo dados do relatório Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil 2018, produzido pela Agência Nacional de Águas (ANA).

O Plano de Recursos Hídricos da Bacia do Piancó Piranhas Açu, no Rio Grande do Norte e Paraíba, concluído pela Agência Nacional de Águas (ANA) em 2016, trouxe entre as ações prioritárias quatro projetos de reuso de água - já em andamento - para fins agrícolas em Jucurutu, São Fernando e Serra Negra (RN) e Itaporanga (PB).

A primeira reunião do grupo que irá estudar e implantar os projetos nos quatro municípios atendidos ocorre nesta quarta-feira (23). Os projetos, coordenados pela Agência de Desenvolvimento Sustentável do Seridó (Adese), definirão as tecnologias e culturas que poderão ser utilizadas levando em consideração os aspectos ambientais, locais, custos e o volume de água a ser reutilizada. Depois de finalizados, as respectivas obras poderão ser feitas com recursos públicos ou privados.

Foto: Divulgação

O efluente tratado, mesmo que de baixa qualidade para uso potável, pode estar dentro dos parâmetros exigidos para a agricultura com o emprego das técnicas corretas. Assim, ao invés dessa água ser lançada em um rio, ela será reutilizada diretamente pelos agricultores para irrigar culturas e manter o setor em funcionamento mesmo em períodos de seca.

Com o auxílio de tecnologias e técnicas adequadas para o tratamento de efluentes, é possível reciclar o esgoto tratado e transformá-lo num aliado contra a escassez hídrica. O reuso de efluentes tratados se mostra, então, uma das soluções possíveis para mitigar as crises, suprindo parte da demanda na irrigação agrícola.

Coopermiti comemora a marca de 2,5 mil toneladas de lixo eletrônico reciclados em 10 anos
Relacionamento com comunidade indígena é um desafio, mas também oportunidade para construção de uma agenda positiva
Waste-to-Energy
São Paulo: 44% da bioeletricidade em 2018