Saldo da balança comercial do setor florestal atinge US$7,2 bilhões e tem alta de 30,3%

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), indicou que as exportações de celulose (+35,9%), painel de madeira (+6,6%) e papel (+3,7%) atingiram o montante de US$ 8 bilhões de janeiro a setembro de 2018, indicando alta de 27,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Foto: Página Sustentável

O saldo da balança comercial do setor também foi positivo (+30,3%), com resultado final de US$ 7,2 bilhões. A representatividade da balança comercial do setor também aumentou entre janeiro e setembro deste ano, totalizando 4,5% do total de exportações brasileiras e 10,1% das exportações do agronegócio.

A China segue como principal mercado externo para comercialização da celulose e aumentou em 40,7% a aquisição do produto, em valores, em relação ao acumulado do ano de 2017. Europa e América do Norte seguem como os demais destinos com maior negociação do produto, que totalizou US$ 6,3 bilhões exportados em 2018. O papel, por sua vez, continua com seu foco de negociações externas na América Latina, que apresentou avanço de 9,1% no valor negociado. A América Latina também é o principal destino dos painéis de madeira e chegou a US$ 126 milhões adquiridos do produto neste ano, alta de 13,5%.

O acumulado do ano também foi de alta para exportações em volume para celulose (+10,7%), que negociou 11,1 milhões de toneladas no período, e painéis de madeira (+2,3%), que atingiu 959 mil de m³ vendidos em 2018.

A produção de celulose segue em alta e demonstrou variação positiva de 10,2% em setembro, na comparação com o mesmo mês de 2017, e 10,0% no acumulado do ano, atingindo 15,8 milhões de toneladas fabricadas ao longo de 2018. No mês, a fabricação de papel cresceu 0,5%, com destaque para papel para fins sanitários que avançou 10,3%. No acumulado do ano, o papel apresentou variação de - 0,4%.

Os painéis de madeira cresceram tanto na comparação mensal, quanto no acumulado do ano. O produto atingiu 573 mil m³ negociados no mercado doméstico em setembro (+6,5%) e 5 milhões de m³ entre janeiro e setembro (+5,0%). Para papel, o avanço foi de 1,0% em 2018, com destaques para papelcartão (+5,5%) e papéis para fins sanitários (+3,6%).

Votorantim Cimentos aprimora matriz energética com resíduos urbanos
Lixões liberam 6 milhões de toneladas de gases de efeito estufa ao ano
Abetre apresenta cartilha com alternativas para gerenciamento de resíduos
Vendas explosivas da Tesla na Noruega fazem Mercedes viver seu momento Kodak